Aproveitar as oportunidades não é o suficiente.

4 de agosto de 2017 by Vitor Malcher
Tagged:

Ser um desenvolvedor Indie não é fácil e isso não é surpresa para ninguém. Ainda mais aqui no Brasil, onde o mercado ainda está se consolidando e a cultura de jogos não está tão amadurecida quanto em outros países. Muitas vezes é difícil até ser respeitado como um profissional da área. E se é complicado ser um Indie dev, imagine só (ou lembre-se de como foi) se tornar um. É ao longo dessa eterna aventura que a arte de lidar com as oportunidades brilha.

Somos todos familiares com o aproveitamento de oportunidades, já que ele representa uma grande parte do processo de crescimento profissional em basicamente qualquer forma de trabalho. Tem alguma game jam rolando? Ótima chance de conhecer outros devs e ainda dar uma engordada no portfólio. Um projeto está precisando de alguém como você para completar o time? Corre sem medo que oportunidades assim não podem ser perdidas!

Com essa mentalidade vamos parar em eventos, palestras, conversas, empresas, pesquisas, game jams e mais qualquer outra coisa que aparecer na nossa frente. E não interprete o título mal, saber aproveitar tais oportunidades é absolutamente necessário para se familiarizar com a cena de game-dev da sua região e se tornar parte dela! Mas a grande realidade é que isso não basta. Não basta para você, nem para a sua empresa e muito menos para a comunidade que tantas chances te ofereceu.

Uma das razões para isso não ser suficiente é que existe um alto risco em ficar dependente das oportunidades externas. Muitos grupos de desenvolvedores são bem ativos e estão frequentemente trazendo novidades para seus integrantes, mas períodos de seca podem vir. E quando eles vierem, o que você vai fazer? Ficar esperando não vai te levar à lugar algum, e é aí que bate o desespero, a falta de motivação, crises internas e etc.

A outra razão (e a mais importante) é que se todos nós só esperarmos as oportunidades surgirem, quem realmente vai criá-las? Por mais que você se considere proativo ao encontrar e participar de atividades no ramo, o verdadeiro mérito está em quem se deu ao trabalho de organizá-las para você! Muitas dessas sem a menor perspectiva de lucro, inclusive.

Falando em dinheiro, não é preciso ter capital de investimento para começar a agir não, viu? É surpreendente a quantidade de pessoas que estão dispostas a te ajudar de graça. Saber vender uma ideia ou vontade sua e força de vontade são tudo que se precisa para fazer a diferença na sua vida e na de seus colegas de profissão. Um ótimo exemplo é a Ludum Dare, que surgiu em um fórum online e somente exigiu um modelo de negócios para administrá-la quando já estava recebendo mais de 2 mil jogos por edição.

Então crie as suas oportunidades! As suas, as da sua empresa, as dos seus colegas, as daquele cara que você desgosta em segredo, as de todo mundo que puder. Sabemos que não se pode viver apenas disso (ou será que pode?), mas seja essa pessoa que, mais do que aproveitá-las, compartilha e encabeça as oportunidades que tanto nos facilitam a vida. Se criar jogos é compartilhar uma experiência, quem melhor do que os game devs para organizar as experiências que a nossa cena indie precisa?